Quinta-feira, Março 26, 2015

Quem conta um conto

Começa hoje a minha participação no projecto Quem Conta um Conto, uma iniciativa que vos leva, por e-mail, com regularidade, contos. Simplesmente. Basta subscrever a newsletter e, de vez em quando, acende-se uma luz na caixa de entrada.

Hoje acendo eu a luz.

assinatura

Quarta-feira, Março 25, 2015

Herberto Helder

«O olhar é um pensamento.

Tudo assalta tudo, e eu sou a imagem de tudo.

O dia roda o dorso e mostra as queimaduras,

a luz cambaleia, a beleza é ameaçadora.

Transmitem-se, interiores, as formas.

- Não posso escrever mais alto.»

Quarta-feira, Fevereiro 18, 2015

Dia internacional da língua materna

Imagem do livro ‘Quando eu nasci‘, de Isabel Minhós Martins e Madalena Matoso

 

No próximo sábado, 21 de Fevereiro, comemora-se o Dia internacional da língua materna. A propósito da data, o Lifecooler convidou a costureira de palavras a escrever um texto.

Convido-vos eu agora a ler o Esplêndido caos.

assinatura

Quarta-feira, Dezembro 24, 2014

Mais cartas, mais Natal

Em Abril de 1940, Virginia Woolf escreveu:

«Instead of letters posterity will have confessions, diaries, notebooks… — hybrid books in which the writer talks in the dark to himself about himself for a generation yet to be born.»

Mais cartas, eis o meu desejo para este Natal e para o futuro. Uma carta basta para que se cumpra o espírito de uma época que todos desejamos seja autêntica, emotiva, calorosa. Requer tempo, claro, e dedicação, e altruísmo. Mas todos nós temos disso em armazém, venham as crises que vierem.

As cartas que eu escrevi, as cartas que eu recebi, são as minhas melhores memórias. E agora, que tenho o privilégio de escrever cartas também por outros que, por algum motivo, não encontram as palavras à altura da vontade, sinto-me um pouco fazedora de memórias para outros, e isso enche-me de orgulho.

A todos, um Feliz Natal (e que haja papel e caneta nos vossos sapatinhos).

Um abraço,

assinatura

PS: A citação chegou-me via Brainpickings, sem sombra de dúvida a minha leitura diária preferida.

Quarta-feira, Novembro 12, 2014

Guia prático para um dia muito feliz

A Susana Esteves Pinto, com quem tenho o prazer de trabalhar no Simplesmente Branco e no The Destination, juntou-se à Maria João Soares, uma sábia senhora destas lides de organizar casamentos, e produziram um objecto que, além de belíssimo, será ferramenta indispensável a todos quantos estejam agora a começar a planear ‘dar o nó’.

 

Queres-casar-comigo

 

Hoje é dia de lançamento oficial, em Lisboa, na Casa Museu Dr. Anastácio Gonçalves, pelas 18h30. E também a partir de hoje o poderão encontrar nas livrarias, sendo que a Wook, a Bertrand e a Fnac já vêm, há alguns dias, a disponibilizar a compra antecipada, com condições especiais.

Acreditem quando vos digo que, além de um festim para os olhos, este será o manual de instruções a ter à mão para um processo tranquilo e um resultado muito feliz.

Muitos parabéns, Susana e Maria João!

assinatura

Sexta-feira, Outubro 17, 2014

Für immer é para sempre

Conheci a Luísa há uns meses, numa esplanada da baixa de Coimbra. É muito, muito raro encontrar-me pessoalmente com os clientes da costureira de palavras, calhou estarmos ambas nesta cidade e termos encontrado um espaço em comum também nas agendas.

No final deste ano vou fazer a estatística oficial, mas posso desde já avançar que me têm passado pelas mãos muitos jovens casais emigrados ou a caminho disso. Neste caso, o noivo, o Filipe, já está na Alemanha há três anos, e finalmente decidiram que é lá que vão construir a sua vida em comum. Não é fácil para a Luísa, sendo advogada. Vai ter de começar praticamente do zero. Mas estarão juntos, apaixonados, numa belíssima cidade alpina, e vai correr tudo bem.

A Luísa pediu-me para ajudá-la a escrever os seus votos de casamento e foi assim que me respondeu ao texto que lhe propus:

Marta, estou sem palavras… É esta a nossa história! Obrigada!!!

Casam amanhã, estes dois. E depois, começa uma vida inteiramente nova. Que sejam muito felizes. Für immer.

assinatura

Quinta-feira, Outubro 2, 2014

Duas costuras online

Já tenho colaborado com a Elisabete e o Nelson, da Memories Fotografia, nalguns momentos-chave do seu negócio.

Memories Fotografia

© Memories Fotografia

Desta vez, lançaram um blogue novo e pediram a minha ajuda para alguns retoques. Visitem-nos, eles são uma simpatia.

A Vera é estreante nesta casa; algo me diz que nos voltaremos a cruzar. O seu projecto, MUDA – Home Design, é a sua ferramenta para pôr em prática aquilo que mais gosta de fazer: ajudar os outros.

MUDA - Foto de Filipe Sousa

© Filipe Sousa

Foi um trabalho de equipa, este: e o resultado é uma apresentação pessoal muito verdadeira. Apresento-vos a Vera Pontes.

assinatura

Quinta-feira, Setembro 11, 2014

The firefighter needs a writer

Ver os noticiários de hoje leva-nos a todos numa viagem até 13 anos antes de hoje. Onde é que eu estava no 11 de Setembro? Todos nos lembramos bem. Eu lembro-me muito bem. Estava sentada no chão da sala, na minha casa de então, em S. João do Estoril, de pernas cruzadas, com o portátil no colo e o gravador a debitar uma entrevista chatíssima que eu recolhera na véspera. Era suposto transformar aquela entrevista chatíssima num artigo para a revista Focus, e estava longe de consegui-lo. Tinha a televisão ligada e uma série de coisas espalhadas no chão, à minha volta: telemóvel, cadernos, canetas, o caos do costume. Imagino que tivesse a porta da varanda aberta, nessa altura a minha casa tinha uma varanda com vista para o jardim e não distava muito do mar. Espero que tivesse a porta da varanda aberta.

E, de repente, tudo mudou. Aconteceu qualquer coisa na televisão que me fez olhar com atenção, pensei, é um filme, mas não era.

Há pouco tempo dei com um filme, por acaso, na televisão. O meu marido chamou-me a atenção para ele, assim é que foi, eu ainda duvidei, mas comecei a ver. Estava já a preparar-me para escrever aqui que é daqueles filmes que devia ter sido uma peça de teatro mas, graças ao Google, descobri que foi mesmo uma peça de teatro, em primeiro lugar, escrita pela jornalista Anne Nelson e protagonizada por Sigourney Weaver e Bill Murray. Chama-se, no original, The Guys.

O filme tem o mesmo nome e a mesma protagonista, mas o papel principal masculino passou para as mãos de Anthony LaPaglia.

PicMonkey Collage

He’s a fire captain, and he just lost most of his men. He’s got to give the eulogies. The first one is on Thursday. He — can’t write them. He needs a writer.

É assim que Joan e Nick se conhecem. A escritora que ansiava por poder contribuir para ajudar a cidade a recuperar dos atentados, mas que não sabia como (A friend of mine went to volunteer. Plumbers and carpenters first, they said. Intellectuals to the back of the line), e Nick, o bombeiro encarregue de discursar no funeral de seis dos seus homens, que não conseguia encontrar duas palavras seguidas que lhe parecessem apropriadas.

Well, I said. When was the last time I heard someone say they needed a writer? 
The firefighter needs a writer.
I called him. He lived down the block. Come now, I said. I have a few hours. My sister took the baby out for the day.

E o que vemos a partir daí é costura de palavras por medida. Se alguém tiver dúvidas acerca do que eu faço, veja este filme. Não espero que provoque noutros a reacção que provocou cá em casa, claro. Eu vi-me ali retratada e isso mexeu bastante comigo.

Graças à costureira de palavras, eu sinto, finalmente, que aquilo que eu sei fazer serve para alguma coisa.

Obrigada por isto.

assinatura

Terça-feira, Setembro 2, 2014

Rentrée

Procurei estar o mais afastada possível do teclado durante as férias. Ainda assim, fui respondendo a alguns emails que foram chegando, e que me encheram rapidamente a agenda de Setembro.

E hoje, no segundo dia de trabalho após ter ido a banhos, eis que recebo uma mensagem tão doce que não posso deixar de partilhá-la aqui. A Vera pediu-me para escrever o seu texto de apresentação para o novo site que lançará dentro de dias. Assim que estiver no ar, eu divulgo, até porque acredito muito no trabalho da Vera, depois da nossa longa conversa telefónica.

«A Marta tem um dom, a sério!
Como é que alguém, que não nos conhece de lado algum, nos capta a essência desta maneira??!
GOSTEI MUITO, aliás ADOREI!
Confesso que as lágrimas começaram a dar o ar de sua graça! Neste momento se estivemos juntas, dava-lhe um abraço mesmo muito apertado!»

E assim, a sentir-me abraçada, prossigo para outro campo. Desta feita, o texto de votos de casamento da L., que confessa que o F. fez dela uma pessoa muito melhor.

assinatura

Quinta-feira, Julho 31, 2014

Bodas de papel

A Márcia e o marido comemoraram, há dias, as bodas de papel. Não sei se sabem que todos os aniversários de casamento têm uma figura correspondente. E ao primeiro corresponde o papel.

O casal vive na Suíça mas tratámos de tudo à distância, sem quaisquer constrangimentos. A Márcia já era cliente da Chapéu de Papel desde o casamento e pediu à Marisa e à Carina para a ajudarem a dar forma ao presente que idealizou para oferecer ao Paulo, o seu marido. E, através da Chapéu de Papel e de outro trabalho em que as nossas artes se juntaram, chegou até mim.

Conversámos, eu costurei o texto, e quando lhe enviei a minha primeiro proposta a reacção foi esta: «Simplesmente especial! Adorei! Encaixa tão bem… ia mesmo dizer que parecia que tinha sido feito para nós, mas o engraçado é que foi. Marta, obrigada.»

Chapéu de Papel desenhou e imprimiu e tudo chegou às mãos da Márcia, na Suíça, a tempo e horas de assinalar a data. E é, mais uma vez, graças às fotos que a Marisa e a Carina tiraram ao resultado final que eu tenho algo de concreto para vos mostrar.

desdobravel2

desdobrvel3 (1)

É muito engraçado como o destino se encarregou de juntar o meu trabalho ao da Chapéu de Papel, sem que nós tenhamos tido nisso qualquer influência.

Foi, mais uma vez, um prazer!

assinatura

Theme by Blogmilk   Coded by Brandi Bernoskie